☽★☾ Grimório da Luna

Um blog dedicado a orientação de iniciantes e praticantes solitários da wicca. Blessed be!

Minha casa mágica


 É uma unanimidade os pedidos para proteção e energização das casas. Também, nossa casa é nosso templo particular, onde nós nos sentimos nós mesmos, embora alguns problemas de vez enquanto perturbe nossa harmonia doméstica.
Saber proteger e energizar a casa é uma prática bem corriqueira na wicca, e diga-se de passagem bem simples. Existe um livro chamado The magical Household, que é simplismente ótimo! Ele enumera uma série de feitiços, amuletos entre outras coisas que podem nos ajudar a atrair ou afastar determinadas energias para nossa casa. Eu nunca vi este livro em português, mas eu vou disponibilizar ele para download em inglês, então quem entende um pouquinho vale a pena conferir. 
Para quem não puder ler o livro eu vou colocar aqui as principais dicas, então vamos lá:
  •  A primeira coisa a se trazer para uma casa nova é sal e pão, sendo que o sal representa riqueza e o pão alimento, assim naquela casa nunca terá escassez de comida ou dinheiro.
  • Nunca traga sua vassoura de varrer de uma casa antiga para uma nova, pois ela trará má sorte.
  • Proteção para portas e janelas: segure um pedaço de bambu do dois lados da porta ao mesmo tempo, isso faz com que todo a energia negativa do lugar saía; desenhar com giz um circulo na porta afasta os fantasmas; sinos pendurados nas maçanetas afastam os demônios; colocar duas agulhas cruzadas em baixo do capacho protegem a casa da entrada do mal; polvilhar sementes de mustarda na frente da porta e em seu parapeito tem o mesmo efeito das agulhas; samambaias, lírios e margaridas são ótimas para crescerem em vasos na varanda para oferecer uma proteção mágica a casa. Cinco moedas colocadas sob a varanda trarão dinheiro a família; uma simpatia para manter os ladrões fora é gira três vezes a chave na fechadura repetindo “tranque os ladrões do lado de fora no escuro, tranque os ladrões do lado de fora no claro, tranque os ladrões bem longe”; três chaves em uma corrente podem trazer riqueza, saúde e amor para a casa, usar uma chave pode promover fertilidade e concepção, uma chave colocada de cabeça para baixo perto de uma cama irá banir os pesadelos, fragmentos de vidro e conchas no parapeito das janelas banem as más influências no lar, limpar as janelas com amônia e vinagre convidam o vento a abençoar seu lar,  quando for dormir pela primeira vez no seu quarto, conte as vidraças da janela depois visualize fortemente um desejo e depois cochile. Se você quer melhorar a sua sorte espalhe sal pelo parapeito da janela e dê passos rápidos para chamar a sorte.
  • Móveis e acessórios: tapetes redondos simbolizam espiritualidade e paz e são bem aceitos em quartos, salas de jantar e de estar e locais de meditação, tapetes quadrados ou retangulares representam o mundo material, o intelecto e a tecnologia são muito bem colocados em escritórios, tapetes ovais que são a essência de tudo funcionam bem em qualquer aposento. Lavanda é a melhor essência para se lavar tapetes, trazer os móveis na mudança pra casa nova em dia de lua nova traz sorte e riqueza para a casa. Ter um espelho na sala de jantar atrai comida e riqueza.
  • Velas: vermelhas atraem paixão e dão proteção a estrutura física da sua casa, velas amarelas promovem calma e modos inteligentes, são boas para estudos e leitura. Velas roxas devem ser acesas durante tempos de doença ou para lançar feitiços de proteção, velas azuis protegem durante o sono e induzem sonhos proféticos, velas marrons são usadas para resolver problemas domésticos.
  • Quarto: nunca durma com a cabeça para o sul, vigas em cima da cama dão insônia e atraem doenças, dormir com a cabeça virada para o norte atrai calma, prosperidade, estabilidade e recuperação rápida de alguma doença, dormir com a cabeça virada para o leste incrementa a espiritualidade, a inteligência e os poderes mentais, dormir com a cabeça para o oeste incrementa o amor, a criatividade, a espiritualidade, promove todos os tipos de habilidades psíquicas como sonhos proféticos. Edredom com motivos florais trazem bons fluidos.
  • Cozinha: Uma trança de alhos, cebolas ou pimentas, absorvem energias ruins da cozinha, só tome cuidado para que ninguém use os amuletos como comida. Para livrar sua cozinha da fome, coloque um pote de alfafa dentro da dispensa ou ármario onde se guarda a comida. Panelas de cobre alegram e trazem amor para a cozinha. Receitas devem ser copiadas em tinta vermelha. Se der alguma coisa errada enquanto você cozinha: queimaduras, cortes e outros, coloque imediatamente uma cebola embaixo da pia para absorver a negatividade e depois a jogue fora. Orar antes das refeições energiza aos alimentos que serão consumidos. Colocar dinheiro e outras coisas em cima da mesa de jantar traz má sorte.
  • Banheiro: se possível todo banheiro tem de ter uma banheira, pois é muito útil para feitiços e relaxamento. Para se livrar de uma doença, acrescente sal na água da banheira e fique de molho por um tempo.
  • Jardim interno: no caso de não se ter espaço ao ar livre. Babosa traz proteção contra acidentes e energias ruins. Samambaias oferecem proteção especialmente para crianças e bebês. Cactos protegem a casa de invasores. Açafrão traz amor e paz. Orquidias trazem amor e paciência. Tulipas protegem contra o desespero e a pobreza.
  • Bichos de estimação: quando comprar uma coleira para seu bichino se possível coloque um sino para que ele afaste a negatividade do seu animal. Gato de três cores traz sorte.
  • Jardim: plante margaridas e rosas para aumentar os poderes psíquicos, camomila deve ser plantada para atrair dinheiro, uma horta própria é um bom meio de se ligar com a magia da natureza e ficar saudável, desenhe isso com o dedo no seu jardim para protege-lo de más vibrações e negatividade.
  • Outros: é importante ter em casa três amuletos de proteção, podem ser: um sapato mágico (pegue um sapato velho e encha-o de objetos protetores como agulhas, alfinetes e pedaços de vidro, depois coloque visco, manjericão, samambaia para preencher o sapato, leve-o para o porão ou sótão dizendo: dou poder a esse amuleto para proteger minha casa de hoje em diante),  uma garrafa de bruxa (coloque rosas, agulhas e alfinetes em uma pequena garrafa dizendo: agulhas, alfinetes, rosas, nessa garrafa de bruxa, guardem minha casa do mal e dos inimigos, esse é o meu desejo e assim será, visualize as fazendo isso. Assim que a garafa estiver cheia ponha vinho vermelho, tampe a garrafa e ponha cera de uma vela vermelha para selar a garrafa e a esconda em algum lugar da casa. 
 Bom, essas dicas são bem simples e dão ótimos resultados (álias uso grande parte delas há um bom tempo e nunca deram errado). Então é isso, protejam e honrem suas casas e atraiam para elas tudo que vocês querem deixando sempre a energia negativa fora da casa e de vocês mesmos. 

Guia de estudos para iniciantes


  
Não é segredo nenhum que para aprender algo nós precisamos primeiro estudar e para estudar corretamente é preciso se organizar, ainda mais quando o objeto de estudo é tão complexo quanto a wicca. Eu sei que no começo existem diversas dúvidas sobre livros, sites e etc. (meu e-mail tá lotado de perguntas assim), então eu decidi dar algumas dicas para quem tá começando a trilhar o caminho dos deuses.
1. Aprenda o que é magia, o que é xamanismo e religiões matrifocais antigas: essa é a base da religião wicca (resgatar esses hábitos pagãos antigos), alguns livros que trazem uma visão bem interessante sobre isso são: Guia essencial da bruxa solitária (no primeiro e no terceiro capitulo), A bruxaria saindo das sombras (capitulo 3). A verdade sobre a bruxaria moderna (toda a primeira parte de magia popular), Magia natural (todo o livro), entre outros.

2. Aprenda o que é wicca, seu inicio e desenvolvimento: isso te ajuda a compreender porque existem diferentes tradições na wicca e etc. recomendo livros como A bruxaria saindo das sombras (capitulos 1 e 2), A verdade sobre a bruxaria moderna (capitulo 7), A moderna feitiçaria (todo livro), Wicca para todos (capitulo 1), A bruxaria hoje (todo o livro), A dança cósmica das feiticeiras entre outros.

3. Deidades reverenciadas na wicca: Essa pare é um pouco complicada, primeiro é bom que vcs relembrem o que estudaram no primeiro tópico sobre as religiões matrifocais e etc. Depois é bom que vocês pesquisem sobre as primeiras deusas reverenciadas (se possivel vejam suas histórias e panteões como os que tem aqui no blog). Depois é que vocês partem para a visão wiccana da deusa, aí eu recomendo Guia essencial da bruxa solitária (capitulo 2), A bruxaria saindo das sombras (capitulo 5), A verdade sobre a bruxaria moderna (capitulo 8), Wicca para todos (capitulo 2), entre outros. Também é bom que vcs entendam todas as referências e modos de ver a deusa e o deus na wicca, não pulem esse tópico até compreenderem totalmente.

4. Práticas wiccanas em geral: essa parte você vai estudar sobre práticas comuns a todas as tradições, como os instrumentos utilizados, o circulo mágico, Sabbaths, Esbaths e etc. Recomendo A bruxaria saindo das sombras (capitulos 6, 7 e 8), A verdade sobre a bruxaria moderna (capitulo 11 ao 17), Wicca para todos (capitulo 3 ao 6), A bruxa solitária (todo o livro), Guia essencial da bruxaria solitária (capitulos 4 ao 9). Depois desse tópico você já deve ser capaz de saber a grande maioria das crenças, conceitos e utilidades da wicca.

5. Essa é a parte de você se auto avaliar tudo que aprendeu e refletir se você quer mesmo continuar, se sim, está na hora de realizar as primeiras práticas sozinho. Você pode primeiro comemorar Sabbaths e depois alguns Esbaths (pode seguir instruções em livros "neutros" como o Guia essencial da bruxa solitária e A bruxa solitária). 

6. Nessa parte você deve ainda continuar algumas práticas sozinho, mas já é hora de começar a distinguir as tradições wiccanas. No livro A verdade sobre a bruxaria moderna no capitulo 10 tem uma boa mostra, aqui no blog também tem algumas especificações de algumas tradições. Cada tradição tem um tipo de autor, que dependendo da sua escolha de tradição voc~e deve adotar, por exemplo, se eu me identifiquei com a wicca gardneriana eu vou ler livros do Gerald Gardner mais especificos sobre a tradição, agora se eu gostei da fairy wicca, eu vou ler livros da Ellen Dugan. Não se preocupem, escolhendo uma tradição, os principais autores dela aparecem em uma pesquisa simples no google, basta verificar a credibilidade do autor.

7. O último passo é a iniciação, você não precisa saber tudo (ninguém sabe tudo), você só deve conhecer os principios, os dogmas, as divindades, a magia natural e ter escolhido que tradição seguir. Se for uma tradição comece a procurar um coven para se integrar ou crie um com esudantes como vc com a mesma escolha de tradição, mas se escolher ser um bruxo solitário você pode encontrar rituais de iniciação em livros especificos como o próprio Guia essencial da bruxa solitária.

  Todo esse processo leva um tempo, não se pressionem para acabar logo. Leiam no ritmo do aprendizado e não queiram ler todos os livros de uma vez, o ideal é assim, um capitulo de cada relacionado ao assunto estudado. Que a deusa iluminem suas mentes, suas almas e purifique seus corações. Tenham força, virtude e perseverança, mas o mais importante tenham paciência, afinal mistérios não são revelados todos de uma vez.
 Também recomendo vocês a lerem livros fora esses do roteiro que os ensinem coisas como herbologia, divinação e etc. Procurem sempre em livrarias por autores confiavéis, não façam práticas que vocês ainda não compreendam, busquem cursos na área da wicca ofericidos por instituições sérias, palestras, videos e etc. Conhecimento nunca é demais, mas lembrem-se, nós passamos a vida inteira aprendendo.  

Panteão Egípcio

   O panteão egípcio também apresentava uma história central e como na mitologia grega e nórdica também haviam certas desavenças familiares. Claro que existiam centenas de divindades adoradas no antigo Egito, algumas delas foram inclusive trocadas mesmo durante o período antigo, mas eu citarei apenas as divindades mais comuns e importantes do panteão.
Para os egípcios o mundo foi criado pelo deus Rá. Tudo no universo era um grande oceano e o deus Rá queria encontrar um lugar seco para dali começar a formar todas as coisas, ele encontrou uma pequena ilha e de lá criou todos os seres e coisas existentes  somente chamando seus nomes. Depois ele pediu ao seu olho, a deusa Hathor, que fosse procurar outros deuses. Harthor foi e ao regressar viu que Rá já havia posto um novo olho em seu lugar, ela então começou a chorar e de suas lágrimas surgiram os primeiros homens. Os deuses que Hathor havia encontrado eram Shu e Tefnut. Eles se casaram e tiveram dois filhos: Geb, a terra, e Nut o céu. Geb e nut se casaram e tiveram muitos filhos: as estrelas. Shu ficou irado com a quantidade de filhos e proibiu Nut de gerar mais filhos, mais a deusa ganhou em uma aposta cinco dias em que poderia dar a luz e nesse tempo nasceram as maiores divindades do Egito: Osiris, Seth, Neftis e Isis.


Rá (ou Ré, *ri:ʕu, Atum-Ra, Amon-Rá), é o deus do Sol, identificado primordialmente com o sol do meio-dia. Acreditava-se que era soberano de todas as partes do mundo criado (o céu, a terra e o mundo inferior) É associado com o falcão ou o gavião.

TEFNUT

Tefnut(ou também Tefnet) é a deusa que personificava a umidade e as nuvens. Tefnut simbolizava generosidade e também as dádivas e enquanto seu irmão e consorte Shu afasta a fome dos mortos, ela afasta a sede.

SHU

Shu é o deus do ar seco, do estado masculino, calor, luz e perfeição.

GEB

Geb é o deus egípcio da terra, e também é considerado deus da morte, pois acreditava-se que ele aprisionava espíritos maus, para que não pudessem ir para o céu. Estimulava o mundo material dos indivíduos e lhes assegurava enterro no solo após a morte. Umedecia o corpo humano na terra e o sela para a eternidade no túmulo. Suas cores eram o verde (vida) e o preto (lama fértil do Nilo). É o suporte físico do mundo material, sempre deitado sob a curva do corpo de Nut. É o responsável pela fertilidade e pelo sucesso nas colheitas. É sempre representado com um ganso sobre a cabeça, nas pinturas.

NUT

Nut representava o céu e era significativamente invocada como a mãe dos deuses.

OSIRIS

Osíris (Ausar) era um deus associado à vegetação e a vida no Além. Marido de Ísis e pai de Hórus, era ele quem julgava os mortos na "Sala das Duas Verdades", onde se procedia à pesagem do coração ou psicostasia.

ISIS

Ísis (em egípcio: Auset) Foi cultuada como modelo da mãe e da esposa ideais, protetora da natureza e da magia. Era a amiga dos escravos, pescadores, artesãos, oprimidos, assim como a que escutava as preces dos opulentos, das donzelas, aristocratas e governantes.Ísis é a deusa da maternidade e da fertilidade. Ísis também foi conhecida como a deusa da simplicidade, protetora dos mortos e deusa das crianças de quem "todos os começos" surgiram, e foi a Senhora dos eventos mágicos e da natureza. Em mitos posteriores, os antigos egípcios acreditaram que as cheias anuais do rio Nilo ocorriam por causa das suas lágrimas de tristeza pela morte de seu marido, Osíris. Esse evento, da morte de Osíris e seu renascimento, foi revivido anualmente em rituais (parecidos com o que fazemos nos sabbaths).

SETH

Seth (ou Set) é o deus da violência e da desordem, da traição, do ciúme, da inveja, do deserto, da guerra, dos animais e serpentes. Seth era encarnação do espírito do mal e irmão de Osíris, o deus que trouxe a civilização para o Egito. Seth era também o deus da tempestade no Alto Egito. Era marido e irmão de Néftis. É descrito que Seth teria rasgado o ventre de sua mãe Nut com as próprias garras para nascer. O deus vermelho fazia de tudo para conseguir o controle dos deuses e ficar no lugar de seu irmão Osíris. Ele originalmente auxiliava Rá em sua eterna luta contra a serpente Apófis(o proprio caos) no barco solar, e nesse sentido Seth era originalmente visto como um deus bom.

NÉFTIS

Néftis representava as terras áridas e secas do deserto e a morte. Ela ajudou Ísis a recolher os pedaços de Osíris quando Seth o destruiu.

HÓRUS

Hórus (ou Heru-sa-Aset, Her'ur, Hrw, Hr ou Hor-Hekenu) é o deus dos céus, muito embora sua concepção tenha ocorrido após a morte de Osíris, Hórus era filho de Osíris. Tinha cabeça de falcão e os olhos representavam o Sol e a Lua. Matou Seth, tanto por vingança pela morte do pai, Osíris, como pela disputa do comando do Egito. Após derrotar Seth, tornou-se o rei dos vivos no Egito. Perdeu um olho lutando com Seth, que foi substituído por um amuleto de serpente, (que os faraós passaram a usar na frente das coroas), o olho de Hórus, (anteriormente chamado de Olho de Rá, que simbolizava o poder real e foi um dos amuletos mais usados no Egito em todas as épocas). Depois da recuperação, Hórus pôde organizar novos combates que o levaram à vitória decisiva sobre Seth. O olho que Hórus feriu (o olho esquerdo) é o olho da Lua, o outro é o olho do Sol. Esta é uma explicação dos egípcios para as fases da lua, que seria o olho ferido de Hórus em recuperação.

HATOR

Hator (ḥwt-ḥr"), era uma deusa que personificava os princípios do amor, beleza, música, maternidade e alegria. Era uma das divindades mais importantes e populares do Egito Antigo, venerada tanto pela realeza quanto pela população comum, em cujas sepulturas ela é descrita como a "Senhora do Ocidente", que recebe os mortos na próxima vida. Entre suas outras funções está a de deusa da dança, terras estrangeiras e fertilidade, responsável por auxiliar as mulheres durante o parto, bem como o de padroeira dos mineiros.

THOTH

Thoth (Tot, Tôt, Toth, Zonga, Djehuty ou Zehuti), deus da sabedoria, um deus cordato sábio, assistente e secretário-arquivista dos deuses. É uma divindade lunar (o deus da Lua) que tem a seu cargo a sabedoria, a escrita, a aprendizagem, a magia, a medição do tempo, entre outros atributos. Era frequentemente representado como um escriba com cabeça de íbis (a ave que lhe estava consagrada). Também era representado por um babuíno. A importância desta divindade era notória, até porque o ciclo lunar era determinante em vários aspectos da atividade civil e religiosa da sociedade egípcia.
 
MAAT

Maat (ou Maet) é a deusa da Justiça e do Equilíbrio. É representada por uma mulher jovem exibindo na cabeça uma pluma. É filha de Rá, o deus Sol e esposa de Tot (alguns escritores defendem que o deus-lua Tot era o irmão de Ma'at), o escriba dos deuses com cabeça de ibis. Com a pena da verdade ela pesava as almas de todos que chegassem ao Salão de Julgamento subterrâneo. Colocava a pluma na balança, e no prato oposto o coração do falecido. Se os pratos ficassem em equilíbrio, o morto podia festejar com as divindades e os espíritos dos mortos. Entretanto, se o coração fosse mais pesado, ele era devolvido para Ammit, (que é parte hipopótamo, parte leão, parte crocodilo) para ser devorado.

ANÚBIS

Anúbis ( Ἄνουβις, Anoubis, Inpu, Anup, Anpu e Ienpw ) deus com cabeça de chacal associado com a mumificação e a vida após a morte. Anúbis era o deus dos mortos mais importante. Depois de algum tempo a função de julgar foi de Anúbis para Osíris.

ANUKET

Anukel (ou Anukis) era uma deusa, inicialmente ligada à água, tendo se tornado mais tarde uma deusa associada à sexualidade. O seu nome significa "abraçar".

BASTET

Bastet (Bast, Ubasti, Ba-en-Aset ou Ailuros) é uma divindade solar e deusa da fertilidade, além de protetora das mulheres grávidas. Também tinha o poder sobre os eclipses solares. Quando os gregos chegaram no Egito, eles associaram Bastet com Artemis e ela deixou de ser a deusa do sol para ser a deusa da lua.

SOKAR

Sokar ( Seker , Sokaris, Σωχαρης Soc'haris) era um deus funerário. O seu nome significa "o que está encerrado". Era representado como um falcão ou como um homem mumificado com cabeça de falcão com uma coroa atef (coroa branca do Alto Egipto com duas plumas). Era o deus de Sakara, a necrópole da cidade de Mênfis, uma das várias capitais que o Antigo Egipto teve. Já era adorado nesta região na época pré-dinástica, acreditando-se que nestes tempos teria associações com a fertilidade. Era também visto como o patrono dos artesãos, talvez por influência da sua identificação com Ptah. Acreditava-se que o deus fazia os ossos do soberano, bem como os perfumes utilizados nas cerimónias dedicadas aos deuses.

   Vocês devem ter percebido que ao contrário dos outros posts de panteão, neste eu não optei por colocar em ordem alfabética e sim por ordem cronológica da história egipcia. Bem, acho que esses são os panteões mais comumente usados e citados, embora existam centenas de outros como o babilônico e etc. Mas ficaria inviavél postar todos aqui por que o blog perderia a sua finalidade original, mas eu vou colocar a disposição para download alguns livros de mitologia muito bons para quem se interessou e quer saber um pouquinho mais não só dos panteões citados aqui, como também de outros. ~ Espero que tenham gostado, Blessed be!

Panteão nórdico

Da mesma forma do panteão grego, o panteão nórdico também gira em torno de uma história central. "Ygdrasill" é uma árvore freixo, considerada pelos nórdicos, o eixo do universo. Nas raízes ficam os mundos subterrâneos, habitados por povos hostis. Em torno do tronco, fica "Midgard", mundo material dos homens. Nos ramos mais altos, que roçam o Sol e Lua, fica "Asgard", domínio dos Deuses, com muitos palácios, e com o Salão do Mortos, "Vallalla", que foi construído por Odin para os guerreiros mortos em batalha descansarem ao lado das belas Valquirias. Uma diferença bem intrigante do panteão nórdico é que ele contém uma previsão do fim do mundo, exatamente como o apocalipse descrito na bíblia cristã. O apocalipse nórdico chamavasse ragnarok, que seria uma batalha entre deuses, humanos e todas as outras formas de vidas que iria ocorrer no fim do cosmos. A batalha terminaria sem vencedores e com o caos retornando. A terra seria queimada e por fim engolida pelo oceano, porém depois ressurgiria e começaria um novo ciclo com novos habitantes.

OS PRINCIPAIS DEUSES NÓRDICOS SÃO:
AEGIR

Aegir é o deus do mar. É um dos Vanir, isto é, um dos deuses do elemento líquido ligado a natureza. Ele era ao mesmo tempo cultuado e temido pelos marinheiros, pois estes acreditavam que Aegir aparecia de vez em quando na superfície para tomar a carga, homens e navios com ele para seu salão no fundo do oceano. Por isso eram feitos sacríficios para apaziguá-los, muitas vezes sendo sacrificados prisioneiros antes de se começar a velejar. Aegir também é conhecido pelo entretenimento generoso que ele providenciava aos outros deuses.

BALDER

Balder (Baldur, Balðr) filho de Odin e Frigga. Uma divindade da justiça e da sabedoria, e embora não pertencesse ao núcleo de deuses superiores, Aesir, era-lhe permitida a permanência em Asgard

BRAGI.

Bragi (ou Brágui) filho de Odin e deus da sabedoria e da poesia. É o protetor dos trovadores. Casado com Iduna, deusa da que concede juventude eterna aos deuses.

DAGR

Dagr ( Dag, Dagur) era  o deus do dia, um filho de Dellingr (deus do crepúsculo) e Nótt. Dagr, o brilhante e o justo, costumava se deslocar através do céu diariamente em uma carruagem puxada por um cavalo conhecido com Skinfaxi que acendia as luzes da terra e do céu. O cavalo de Nótt, Hrimfaxi, acendia as luzes da noite.

EIR

Eir conhecida por sua habilidade de cura (principalmente com ervas), inclusive conhecedora da ressurreição. Ela é uma das deusas da montanha Lifia ("que cura através da magia"). Também era boa amiga de Frigg e considerada como uma das vinte criadas dela. Como uma mestre no medicamento, Eir é a protetora dos trabalhadores saudáveis.. Dizem que Eir entrega suas curas a todas as mulheres que já a viram, e ela apenas ensina as mulheres seus segredos das artes medicinais. De acordo com a lenda, apenas as mulheres podiam aprender as artes de curas escandinavas.

JORD

Jord ou Jörð, é a deusa de Midgard (a Terra na visão dos nórdicos).Algumas lendas dizem que ela é irmã do deus do mar, Njord embora outras afirmem que ela seja amante de Njord.É a deusa que permite e que faz todas as coisas crescerem na terra, de árvores à flores. Jord também é mãe do deus do trovão Thor, sendo Odin o pai. Diferente dos outros Æsir, ela não permanece em Asgard, mas sim em Midgard para tomar conta da terra.

FORSETI

Forseti  deus da justiça, meditação e conhecimento interior. É também uma força de paz. Ele é filho dos deuses Balder e Nanna. Sua casa é o palácio Glitnir, que significa "brilhante". Forseti se sentava em sua sala distribuindo justiça e resolvendo as disputas de deuses e homens.

FREIA

Freia ( Freyja,  Freya, Freja, Freyia, ou Frøya) é a deusa mãe da dinastia de Vanir. Filha de Njord e Skade(Skadi), o deus do mar, e irmã de Frey, ela é a deusa do sexo e da sensualidade, fertilidade, do amor, da beleza e da atração, da luxúria, da música e das flores. É também a deusa da magia e da adivinhação, da riqueza (as suas lágrimas transformavam-se em ouro) e líder das Valquírias (condutoras das almas dos mortos em combate).

FREY

Frey (Frei, Freyr ou Freir) é filho de Njord e irmão de Freya, e está casado com a gigante Gerda. É um deus representado como belo e forte que comanda o tempo e a prosperidade, a fertilidade, a alegria e a paz. É o deus chefe da agricultura.

FRIGA

Frigga (ou Friga), é a Deusa-Mãe da dinastia de Aesir e  madrasta de Thor, ela é a deusa da fertilidade, do amor e da união. É também a protetora da família, das mães e das donas-de-casa, símbolo da doçura.

HEL

Hel (Hela ou Hell) é filha de Loki e da gigante Angrboda,  foi banida por Odin para o mundo inferior que recebeu seu nome, Helheim, que fica nas profundezas de Niflheim. . Lá, recebeu o poder de dominar nove mundos ou regiões, onde distribui aqueles que lhe são enviados, isto é, aqueles que morrem por velhice ou doença. Seu palácio chama-se Elvidner, sua mesa era a Fome, sua faca, a Inanição, o Atraso, seu criado, a Vagareza, sua criada, o Precipício, sua porta, a Preocupação sua cama, e os Sofrimentos formavam as paredes de seus aposentos. Hela podia ser facilmente reconhecida, uma metade de seu corpo era de uma linda mulher, e a outra parte de um corpo terrivel em decomposição. A personalidade de Hel difere das dos deuses do mundo inferior das demais mitologias: Ela não é boa e nem má, simplesmente justa.

LOFN

Lofn ( Lofna, Lofe, Lofua) é a deusa do amor proibido e dos casamentos. Na mitologia diz-se que ela sorri para uniões ilegais.

LOKI 
Loki ( Loke ou  Lothur) Deus do fogo, da trapaça e da travessura, também está ligado à magia e pode assumir formas de vários animais - exceto de aves - e de ambos os sexos.

MIMIR

O mais sábio dos deuses nórdicos, Mímir teve sua cabeça decepada, mas Odin a manteve viva e a consultava a fim de se tornar onisciente.É um dos deuses gigantes antigos. Obteve todo o seu conhecimento ao beber do poço da Grande Sabedoria nas raízes de Yggdrasil.

NJORD

Njord, o deus do Mar, dos ventos e da fertilidade, é da Raça dos Vanir, contraposto a dos Aesir, dos quais Odin era o líder. É o protetor dos pescadores e dos caçadores que, em sua honra, construiam pequenos altares nas falésias e nas florestas, onde depositavam parte do que conseguiam pescar ou caçar. Era visto como um deus pacífico.

NORNAS

As Nornas são deusas  com a função é controlar (muito embora na mitologia nórdica e na religião odinista o destino é mutável) a sorte, o azar e a providência, quer dos homens quer dos deuses, e zelar pelo cumprimento e conservação das leis que regem as realidades dos homens, dos Aesires, dos elfos, dos anões, etc...O clã possuí apenas três integrantes, todas entidades femininas que a saber são: Urd (guardiã do passado), Verdandi (vigia do presente) e Skuld (virgem guardiã do futuro).

NÓTT

Nótt é a personificação da noite e filha de gigante Nörfi.

ODIN

Odin (ou Ódin, ou Óðinn) é considerado o deus principal da mitologia nórdica.Seu papel, como o de muitos deuses nórdicos, é complexo; é o deus da sabedoria, da guerra e da morte, embora também, em menor escala, da magia, da poesia, da profecia, da vitória e da caça.


RAN

Esposa de Aegir, Ran governa o mar. Temida pelos marinheiros por ser uma deusa maligna que os arrastava para o fundo do mar se tivesse a oportunidade. Deusa do Submundo e dos Elfos Escuros, Senhora dos Mortos.

SAGA

Saga é a deusa nórdica da história e dos poemas que levam seu nome: as sagas, que mesclam poesia e história

THOR

Thor ( Tor: Þórr, Þunor, Donar) é o mais forte dentre deuses e homens, é um deus de cabelos vermelhos e barba, de grande estatura, representando a força da natureza (trovão) disparando raios com o seu poderoso martelo Mjolnir

ÝR

ýr (ou Ziu ou ainda "Tyrr") é o deus germânico original do combate (Aesir), do céu, da luz, dos juramentos e por isso patrono da justiça, precursor de Odin.

ULLER

Uller (antigo nórdico: Ullr; em português: Glória) é o deus da justiça e do julgamento, assim como o deus patrono da agricultura

Panteão Romano


O panteão romano tem a mesma base do panteão grego, ou seja, os deuses são os mesmos. A única coisa que muda são os nomes, então eu irei fazer apenas um relação entre o nome do deus grego e do deus romano.
  • AFRODITE para os romanos é VÊNUS;
  • APOLO conserva o mesmo nome nas duas culturas;
  • ARES é chamado pelos romanos de MARTE;
  • ÁRTEMIS é tida pelos romanos como a deusa virgem da lua DIANA;
  • ATENA  é conhecida como MINERVA;
  • DEMÉTER é chamada de CERES;
  • DIONISIO é o deus BACO romano;
  • HADES era o equivalente ao deus PLUTÃO;
  • HEFESTO era chamado de VULCANO;
  • HERA conhecida pelos romanos como JUNO;
  • HERMES é o equivalente ao deus romano MERCÚRIO;
  • POSEIDON é conhecido como NETUNO;
  • e finalmente ZEUS é tido como JÚPITER.

    Panteão Grego

     
      Diferente do panteão celta, onde os deuses possuíam mais de um nome e mais de uma função e onde os parentescos e histórias dos deuses são diferentes em cada clã, no panteão grego isso não acontece. O panteão grego possui uma quantidade de deuses finita, organizados em torno de um história central.
      Explicando melhor: A história dos deuses gregos começa com o sugimento espontâneo de Gaia (a mãe terra) a partir do caos. Gaia então teve um filho: Urano (o céu). Da união entre Gaia e Urano nasceram três ciclopes (gigantes com um só olho no meio da testa), três hecatonquiros (gigantes de 100 braços e 50 cabeças) e 12 titãs. Como não suportava a feiura dos ciclopes e dos hecatonquiros, Urano os escondeu no submundo, o tártaro. Gaia se recusou a ter novos filhos e cansada dos maus tratos de Urano, pediu que os titãs o derrotassem. O único que enfrentou Urano foi o caçula dos titãs Cronos, que com uma foice dada por Gaia cortou os testículos do pai e os jogou no mar. Assim, Cronos derrotou Urano e assumiu seu lugar como deus soberano do mundo. Os titãs então passaram a reinar absolutos na terra, Cronos casou-se com sua irmã Réia e deu origem a linhagem que depois ocuparia o monte Olimpo. Gaia profetizou a Cronos que assim como seu pai, ele também seria derrotado pelo seu próprio filho. Receioso de que a profecia se tornasse verdade, Cronos refugiou-se em sua pequena cidade no monte Othrys e devorou um por um, todos os filhos que Reia tinha, tão logo eles nasciam. Reia, claro que não gostava disso e arquitetou um plano: quando seu filho mais novo nasceu, Zeus, ela o envio para a ilha de Creta para protegê-lo de Cronos e deu em seu lugar uma pedra envolvida com roupas de bebê para Cronos devorar. Zeus cresceu na ilha de Creta e quando já era adulto foi instruído por Metis (a prudência) como tirar os irmãos devorados de dentro do pai com um néctar mágico. Zeus levou o néctar até o monte Othrys, e disfarçado, entregou uma taça de néctar para Cronos, que depois de alguns goles vomitou todos os filhos já transformados em adultos. De sua boca saíram Poseidon, Hera, Hades, Héstia e Deméter, que juntaram-se numa batalha conhecida hoje como guerra cósmica ou tianomaquia. Como os deuses não eram poderosos o suficiente para enfrentar os titãs, Zeus libertou os ciclopes do submundo para que estes lhes fabricassem armas mágicas. Zeus ganhou os raios do céu, Hades um capacete que o deixava invisível e Podeidon um tridente que o permitia controlar tempestades e terremotos. Com a vitória dos deuses, todos os titãs foram punidos e exilados no tártaro, inclusive Cronos, porém Atlas um dos lideres dos titãs foi sentenciado a carregar para o resto da eternidade o globo celestial nas costas. Os deuses enfrentaram muitas outras batalhas por sua soberania como a guerra contra os gigantes conhecida como Gigantopia. Mas o fato é que eles permaneceram soberanos e hoje formam o panteão mais conhecido do mundo.

    OS DEUSES GREGOS
    Claro que existiam muitos deuses, mas eu somente vou citar aqui os doze deuses mais importantes do Olimpo, conhecidos como Dodekatheon.

    AFRODITE 

      
    Afrodite ( Ἀφροδίτ, Aphrodítē, Citere, Citereia (Cytherea) ou Cípria (Cypris)) é a deusa do amor, da beleza e da sexualidade. Existem duas versões sobre sua origem. A primeira diz que Afrodite surgiu de uma espuma branca do mar gerada pelos testículos de Urano que lá foram jogados por Cronos. E a segunda que ela é filha de Zeus. Seus símbolos incluem a murta, o golfinho, o pombo, o cisne, a rosa, a romã e a limeira. Entre seus protegidos contam-se os marinheiros e artesãos. Ela vista como o aspecto jovial e amoroso da deusa que ajuda jovens a encontrarem a essência do amor.

    APOLO


    Apolo (Ἀπόλλων, Apóllōn, Ἀπέλλων, ou Apellōn) filho de Zeus  e irmão gêmeo de Ártemis. Conhecido antigamente como deus da música e das artes foi depois associado ao deus sol. Patrono dos arqueiros, ele também protege aqueles de criatividade brilhante e fornece forças divinatórias como as que regiam o oraculo de delfos.

    ARES


    Ares ( Ἄρης ou Árēs) era filho de Zeus e Hera. Embora muitas vezes tratado somente como o deus da guerra, ele também é o deus da persistência e do espirito de luta.

    ÁRTEMIS


    Ártemis (ou Artemisa OU  Άρτεμις) era filha de Zeus e irmã gêmea de Apolo. Conhecida como a deusa das amazonas, ela era  ligada essencialmente a vida selvagem e a caça, associada hoje em dia pela wicca a luz da lua e a magia.

    ATENA


    Atena ( Αθηνά, Athēnā, Aθηναία, Athēnaia, Palas Atena ou Παλλάς Αθηνά) nasceu da cabeça de Zeus e era tida como uma das deusas mais importantes do Olimpo e adorada em toda Grécia. Ela era a deusa da guerra, da civilização, da sabedoria, da estratégia, das artes, da justiça e da habilidade.

    DEMÉTER


    Deméter ( Demetra, Δημήτηρ, "deusa mãe" ou Ceres) é irmã de Zeus, deusa da terra cultivada, das colheitas e das estações do ano. É propiciadora do trigo, planta símbolo da civilização. Na qualidade de deusa da agricultura, fez várias e longas viagens com Dionísio ensinando os homens a cuidarem da terra e das plantações.

    DIONISIO


    Dioniso  (Dionísio, Διώνυσος, Διόνυσος, Diōnisos, Diónisos, Dendrites, Bromios, Lesbos Enorches, Enorches, Eleutherios) deus dos ciclos vitais, das festas, do vinho, da insânia, mas, sobretudo, da intoxicação que funde o bebedor com a deidade. Filho de Zeus e também conhecido como deus do teatro.

    HADES


    Hades (Άδης ou Hádēs), é o deus do Mundo Inferior e dos mortos. Seu nome era usado frequentemente para designar tanto ele quanto o reino que governa, nos subterrâneos da Terra.

    HEFESTO


    Hefesto (Hefaísto, Ήφαιστος ou Hēphaistos) filho de Zeus e Hera, era o deus da tecnologia, dos ferreiros, artesãos, escultores, metais, metalurgia, fogo e dos vulcões. Servia como ferreiro dos deuses, e era cultuado nos centros manufatureiros e industriais da Grécia, especialmente em Atenas. Os símbolos de Hefesto são um martelo de ferreiro, uma bigorna e uma tenaz, embora por vezes tenha sido retratado empunhando um machado.

    HERA


    Hera (Ἥρα, Hēra, Ἥρη, Hērē) é a deusa do casamento, irmã e esposa do sempre infiel Zeus, ela por conta disso, a fidelidade conjugal. Retratada como majestosa e solene, muitas vezes coroada com os polos (uma coroa alta cilíndrica usada por várias deusas), Hera pode ostentar na sua mão uma romã, símbolo da fertilidade, sangue e morte, e um substituto para as cápsulas da papoula de ópio. A vaca, e mais tarde, o pavão eram animais relacionados com ela, que também é tida como a protetora dos lares.

    HERMES


    Hermes (ou Ἑρμής) era filho de Zeus e de Maia e possuidor de vários atributos. Divindade muito antiga, já era cultuado na história pré-Grécia antiga possivelmente como um deus da fertilidade, dos rebanhos, da magia, da divinação, das estradas e viagens, entre outros atributos. Ao longo dos séculos tornou-se o mensageiro dos deuses e patrono da ginástica, dos ladrões, dos diplomatas, dos comerciantes, da astronomia, da eloquência e de algumas formas de iniciação, além de ser o guia das almas dos mortos para o reino de Hades, apenas para citar-se algumas de suas funções mais conhecidas. Era dotado de asas nos pés ou na cabeça para facilitar sua rápida locomoção para transmitir mensagens dos deuses.

    POSEIDON


    Poseidon (Posídon, Ποσειδῶν, Poseidōn, Possêidon ou Posidão), assumiu o estatuto de deus supremo do mar. Também era conhecido como o deus dos terremotos e dos cavalos. Os símbolos associados a Poseidon com mais frequência eram o tridente e o golfinho.

    ZEUS


    Zeus (Ζεύς, ou Zeús), é o rei dos deuses, soberano do Monte Olimpo e deus do céu e do trovão. Seus símbolos são o relâmpago, a águia, o touro e o carvalho.